segunda-feira, 20 de junho de 2011

Um pouco de Pablo Neruda...

É Proibido

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,

Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos

Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,

Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,

Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,

Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se
desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,

Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,

Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,

Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

Enquanto isso...

Enquanto isso...
Observamos, paradinhos, as filas nos pronto socorros, nos postos de saúde, pessoas, seres humanos, esperando em corredores, em bancos, em cima de macas, implorando por atendimento médico (as vezes nem tendo tempo para espera).
Escolas sucateadas, sem estrutura física e humana, faltando professores e funcionários, ou quando os tem, desmotivados, mal remunerados, sobrecarregados.
Bom, será que precisamos falar em segurança pública...ou seria insegurança pública? Baixo efetivo, falta de material, de viaturas ou quando tem, resumem-se nuns lixos, verdadeiras sucatas, efetivo mal remunerado e desmotivado, sem treinamento.
Estradas marcam recordes em número de mortes, faltam fiscalização, sinalização e condições mínimas de tráfego.
Sistema prisional, esse sim é uma beleza, não se pode agora mais prender ninguém, pois, não tem onde colocar mais delinquente, rsrsrs! E de lá de dentro conseguem controlar cidades inteiras pelos celulares, através das visitas de amigos, familiares e até mesmo advogados, está tudo bem, estão mais protegidos lá dentro para ganharem sua grana do que aqui fora.
Estão de sacanagem com a gente, continuamos aqui esperando solução, quem tem a caneta são eles, mas, um dia, daqui uns meses, eles irão precisar do nosso indicador, porque agora não é mais com a caneta que decidimos, rsrsrsrsr!
E, enquanto isso, vamos nos preocupar com as obras para "Copa do Mundo", afinal, temos que dar alegria para o povo!
Sacanagem!
Politização do povo já!
Ana Paula

"As regras foram feitas para serem quebradas"

Concordo em partes, pois, há tanta regrinha absurda que acredito que foram feitas, desde o princípio, para serem quebradas!
Claro que precisamos de regras, de controle social, para que possamos viver em sociedade!
Entretanto, vamos pensar um pouquinho, quem são os encarregados em "fazer" essas regras, que formalmente chamamos de leis?
Olhem para dentro do Legislativo, olhem para a "Casa do Povo", olhem por quem somos representados!
Nossa! As poucas vezes que resolvem "trabalhar", geralmente é em benefício próprio, aprovam umas "bestices" de projetos, que viram leis e que nós, cidadãos, temos que acatar.
Por essas e tantas outras razões, as leis de nosso país deixam de ser cumpridas, respeitadas, ou seja, as regras são quebradas. Mas, quebradas porque foram feitas, na maioria das vezes, por completos idiotas, sem estudo e discussão sobre o tema.
Contudo, culpa nossa, cada povo tem os representantes que merece, afinal, os colocamos lá. Assim sendo, temos que cobrar ações pelo menos inteligentes e para o bem da maioria. Acontece, que só lembramos deles daí quatro anos quando batem a nossa porta novamente pedindo voto. Vamos até a urna, votamos e nunca mais acompanhamos o que ele está fazendo e se está fazendo o que prometeu, nós somos mais sem vergonha que o camarada.
Há necessidade urgente de politização do povo brasileiro, enquanto isso não ocorrer, ficamos a mercer de qualquer carinha bonita na televisão ou do(s) Tiririca(s), rsrsrsrrs...
Ana Paula

O baile da vida!

O blog está com um pouco mais de um mês, fiquei sem escrever apenas dois dias, esses últimos dois dias, pois estou sem palavras. A vida me deixa sem palavras!
Talvez, pelo fato de eu não ter aprendido a dançar as músicas tocadas no baile da vida, acabo indo ao chão. Nunca fui boa dançarina, também nunca me avisaram que precisava ser, mas, tenho percebido que temos que ter muito jogo de cintura para não cair. O ditado de dançar conforme a música se aplica, o problema, que em determinadas situações a vida não me mostra nem qual será a música, ela simplesmente me derruba.
Cair e levantar! Está ficando um pouco chato isso, chato demais, nem tenho tido tempo de levantar e vou para lona novamente.
Se é uma dança, quero aprender a dançar se for um jogo, quero as regras, mesmo sabendo que irei perder no final!
Ana Paula