segunda-feira, 13 de junho de 2011

15 meses!

Sei que tenho que virar a página, mas, o dia 13 é uma droga!
Não passo um mês sem lembrar do dia 13 de março de 2010 (na verdade não passo um dia sem lembrar) mas, o dia 13 de cada mês me judia.
15 meses!
E eu ainda não estou bem...
Imaginem que uma criança poderia ter sido gerada e já estaria com 6 meses...
E eu ainda não estou bem...
Sei lá, imaginem o que vocês fizeram nesses últimos 15 meses...
E eu? Tratei de sobreviver!
E eu ainda não estou bem...
Sei que vocês devem estar pensando, porque é o que me dizem quando me encontarm: - Tem que agradecer por estar viva!
Mas, puta merda, que preço tem estar viva? Será que um dia vai acabar essa ladainha? Já paguei todos os pecados que sabia que tinha e os que ainda vou ter, na vida passada, nessa vida e na vida que vem.
Acredito na ciência mas, é muito duro quando ela desiste de você!
Todos os recursos que a medicina proporciona, já experimentei e minha perna não cicatriza...
Ninguém sabe explicar a razão e nem o que fazer!
Contudo, continuo com um dreno, sendo trocado 3x por semana e esperando por providências "divinas".
Vivo um momento de revolta com Deus.
Seria este o grande aprendizado?
Se for, bom, acho que vai demorar para eu ficar bem!
Ana Paula

Política ou Politicagem?

Bom meus amigos, os que me conhecem não vão admirar-se ao ler, tenho uma quedinha por política!
Entretanto, tenho renegado meu interesse, abafado minha militância e enrolado minha bandeira, inclusive, última vez que a vi estava mofada. Penso as razões dessa desilusão e logo me vem ao pensamento a palavra "politicagem", que acreditem vocês, é diferente de política.
Politicagem é o que mancha, suja e envergonha nosso país!
É o que assistimos nos noticiários e como já é tão rotineiro nem paramos mais para ouvir, daqui a poucos dias nem lembramos mais o nome ou número do sujeito, votamos e damos poder novamente a ele. Ora bolas, estamos vivendo numa cultura de que "todos são assim", "todos fazem sujeira e fica por isso mesmo", a cultura da impunidade!
Politicagem é diferente de política!
Política, para mim, é você acreditar num "modelo" de país que queremos (sociedade, educação, saúde, trabalho, habitação etc), identificar um partido político que lute pelas mesmas ideologias que você e aí sim, debater propostas, projetos de governo etc.
Acredito no despertar de lideranças ainda nos movimentos estudantis, movimentos de base, Grêmio Estudantil não serve só para organizar festa junina e sim promover palestras, debates, ouvir corpo discente, elaborar projetos e propor para direção das escolas, trabalhar noções de cidadania etc.
Na universidade firmamos ideologias, quando a sociologia e a filosofia nos ajudam a definir o que acreditamos, o que buscamos, que legado queremos deixar, qual futuro queremos ao nosso grande país. A participação em Diretórios Acadêmicos também é importante, como escuta da realidade, integração das diferentes áreas do conhecimento.
Outra forma de despertar lideranças é no engajamento comunitário, projetos sociais, ou seja, vivenciando as necessidades daquela comunidade.
Dessa forma, política encanta!
Fico me perguntando, em época de campanha, de onde saíram aquelas ricas carinhas maquiadas da TV. Quem são eles? De onde vieram? Para que vieram? No que acreditam? Realmente acreditam ou daqui 4 anos já estão acreditando em outra coisa?
Não entendo esses que ficam em cima do muro, hora estão num partido, hora em outro, não compreendo coligações (municipais, estaduais e federais muitas vezes, completamente diferentes), que droga, ou você acredita ou não acredita!
E para isso não precisamos brigar se penso diferente de você, nem haver perseguição política aos que não aderiram ao projeto do que ganhou ou benefícios pessoais aos que banderaram.
Afinal, a máquina pública deve estar a serviço do povo, independente da cor da bandeira que ele levantar, isso é democracia!
Que bobagem a minha falar em democracia para esses descamisados que nem conhecem a ideologia de seu partido, que hoje é um, mas, que amanhã, se for conveniente (a ele, somente a ele) poderá ser outro.
Nunca fui filiada, minha militância sempre foi solitária, mas, desde muito cedo acompanhei a história da fundação e crescimento do partido, quando estudante, acompanhava, solitariamente (eu e minha bandeira) algumas manifestações e até festejos populares. Gosto do povo na rua, do povo politizado, sabendo o que quer...o poeta já dizia..." a praça é do povo".
Povo ignorante é massa de manobra! Como gostam de desviar nossa atenção, conseguindo abafar canalhices com jogos, preparativos para copa do mundo etc.
Por essas e tantas outras razões que minha bandeira está enrolada, guardada e mofada!
Ana Paula