segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Preparativos para 7 de Setembro...A luta continua companheiros!

De farelo em farelo alimento aos meus, ou melhor, o ditado nem é esse, rsrsrsrs...de grão em grão a galinha enche o papo, acho que agora acertei, rsrsrsrrs...
Na Educação especial é assim, de grão em grão, prefiro chamar de migalha em migalha, de esmola em esmola, ou de assistencialismos baratos, paternalismos, ou de sobras de verbas de gabinetes em vésperas de eleições, tentamos exercer a profissão.
Tirando isso, é um empurra empurra, ninguém quer responsabilizar-se, afinal, para que mesmo?
Renegamos, rasgamos os direitos civis de uma criança tão logo diagnosticada uma deficiência, síndrome e/ou transtorno, como se daí em diante ela não fosse mais brasileiro, nascido neste solo, nesta terra, a qual jura-se a Constituição, a mesma Constituição que diz que todos são iguais perante a lei.
Muito me entristece ter que preparar um desfile alusivo a 7 de Setembro, faz dias que tenho essa missão nas mãos, penso e repenso mas, não consigo escrever o tal texto que deverá ser lido no dia do desfile.  Até porque homenagear uma pátria que esquece de seus filhos, que beneficia alguns em detrimento de outros, que joga na marginalidade milhares de brasileirinhos todo dia, isso porque não oferece escola, trabalho decente aos pais, sistema de saúde humano, moradia etc fica bem complicado.
O que falar dessa Pátria mãe gentil?
Realmente, gentil aos que saem de cuecas cheias de dinheiro das Assembléias Legislativas, gentil aos que se beneficiaram do mensalão, das obras super faturadas, dos mega salários, daqueles que empregaram até os parentes dos seus cachorrinhos. Para esses a Pátria é generosa, gentil, abundante em recursos e em boa vontade.
Mas, voltamos a falar dos meus queridos alunos, historicamente, propositalmente, esquecidos pelo poder público, o que digo a eles, como vou trabalhar com eles, que idéias posso sugerir para que possamos homenagear a nossa tão amada Pátria?
Nem o futebol irá me salvar! Rsrsrsrsrrs...
Amigos, não sei, pois, o que sinto é nojo!
Entretanto, sou obrigada a ir para a avenida, pois, é um espaço que conquistamos, esse será o 3º desfile que meus alunos tem a honra de participar, pois, antes, nem disso participavam, ora bolas, disserto não eram cidadãos. E percebi o quanto isso representa para eles, pois, sente-se parte da comunidade.
Talvez seja a oportunidade de bem de levinho, deixar meu recado, porque se passar do ponto um pouquinho, as portas fecham-se novamente, rsrsrsrsrsrrs...
Afinal, nós da Educação Especial, somos assustadores, monstros pavorosos, malvados, bocudos, que devem ser combatidos e mantidos longe da sociedade, rsrsrsrrsrsr!!!
A luta continua companheiros!
Ana Paula