segunda-feira, 18 de julho de 2011

...

Um dia, acordei e estava tudo diferente.
Não sabia o que havia acontecido e tinha esquecido quem eu era.
Simplesmente, acordei em outra vida que nunca foi a minha.
É assim que me sinto.
A única prova que me faz acreditar que ainda estou neste plano são as pessoas, única coisa reconhecível neste momento.
Elas me fazem acreditar que é real, que não estou sonhando, ou melhor, tendo um grande pesadelo.
E aí sou obrigada a aceitar que, infelizmente, minha vida tornou-se um pesadelo e que preciso recomeçar.
Juntar os cacos que restaram e recomeçar!
Não é um processo fácil, porque não sou a mesma, nem sei mais quem eu sou, do que gosto ou não.
Perdida, completamente perdida!
O melhor que consigo fazer e afundar-me no trabalho, porque parece que é uma das poucas coisas que fazem sentido neste momento.
Mas, e o resto?
A vida é muito mais que trabalho...
Mas, e o resto?
Onde ficou?
Quem me roubou?
Com que direito e razão é que me roubou?
???
Ana Paula

Rsrsrsr... estou quase acreditando!

"A preguiça é a mãe do progresso. Se o homem não tivesse preguiça de caminhar, não teria inventado a roda."
Mário Quintana