terça-feira, 24 de maio de 2011

"Não podemos se entregar pros homens, mas, de jeito nenhum..."

Esse é um trecho de uma velha música nativista, se aplica em inúmeros cenários. Para mim, nesse momento, ainda em recuperação, "...não podemos se entregar..." representa um grito desesperado por piedade. Não consegui encontrar erros que justificassem tanto sofrimento, acho que nesses 27 anos de vida ainda não tive tempo de fazer tanto mal às outras pessoas para merecer passar por tamanha "provação".
"...Pros homens...", bem os homens devem ser os obstáculos, as adversidades, a dor, as baixas hospitalares, os procedimentos cirúrgicos, os exames, as revisões, os novos encaminhamentos, as terapias, a insegurança, o medo etc.
"...Mas, de jeito nenhum...", trata-se de esperança de que tudo vai dar certo,de que dias melhores virão.
Ana Paula