terça-feira, 22 de novembro de 2011

Quebra - Cabeça

Quando montamos um quebra-cabeça, nem sempre conseguimos chegar à figura esperada. Isso porque não prestamos atenção durante o exercício! Sendo que, cada peça tem valor insubstituível para o resultado final, assim como, jamais podemos pensar somente nas partes e esquecer do todo.
Contudo, assim acontece em todos os aspectos da vida da gente, as peças precisam ser encaixadas para que ocorra o equilíbrio, mas, tem peças de difíceis encaixe, que parecem não pertencer àquele jogo, que literalmente quebram a cabeça da gente, mas, que no entanto precisam ser acomodadas. Essas peças nos fazem pensar em desistir do jogo, chutar a mesa e mandar tudo a PQP, mas, daí percebemos que são apenas uma que outra peça meio de tantas outras, tão mais bonitas, coloridas etc. Essas peças "encomodativas" acabam ficando opacas, sem brilho e isoladas até o final do jogo, pois, deisitimos delas, mesmo sabendo que farão, em algum momento, parte da jogada. Lá no finalzinho, as pegamos, daí já encontram-se apagadinhas e encaixam-se em qualquer lugar que oferecermos.
Daí me pergunto, quais as peças que tiveram maior vida útil? Aquelas que logo encaixaram-se num projeto e tão logo percebemos suas paisagem, brilho, cor, ou aquelas peças, que por um detalhe, impediram o encaixe, impossibilitaram a conclusão de grandes projetos, que ficaram atiradas, à margem, envelhecidas pelo tempo até o fim do jogo?
Reconheço muitas peças que não se encaixam no meu projeto de vida, penso no que fazer com elas!
Ana Paula