quinta-feira, 30 de junho de 2011

Tic, tac!

Metade do ano!
O semestre se foi e a sensação é que o tempo corre!
Cada ano parece mais curto, cada mês parece passar mais rápido, cada semana parece que nos falta tempo de fazer todas as atividades previstas, cada dia, bom cada dia escorrega! As horas perecem minutos e os minutos parecem segundos!
Quando pequenos, meus irmãos e eu, esperávamos ansiosos pelas Datas Comemorativas e/ ou Feriados, ainda mais quando de lambuja eram motivos de "presentes". Primeiro, esperávamos pela Páscoa, arrumávamos os ninhos para o coelhino, faziámos máscara e tudo o que o imaginário de criança permite. Passada a data, parecia que o tempo "congelava", contávamos os dias no calendário para a chegada das férias de iverno, porque aí ficávamos em casa aprontando, junto aos primos e amigos. Aí, dava uma aceleradinha, até a Semana Farroupilha, que adorávamos. Poxa, daí para frente era dose! Os dias se arrastavam até o Dia das Crianças, data X, onde aguardávamos para ver se íamos conseguir aquele presente esperado. E aí meus amigos, depois somente com reza, o Natal ficava distante demais!
Por mais atividades que pudéssemos ter, escola, esportes, aulas de música, catequese, atividades junto ao mercado da família, horas e horas de tempo livre com os amigos etc, parece que o tempo permitia tempo para vivermos, tempo para tudo!
Agora crescemos e não temos mais tempo, nem mesmo para pensar sobre o tempo!
Será que isso é crescer? Ou será simplesmente virar adulto? E para eu ser adulto "competente" preciso correr e não ter tempo para nada?
Será que foi o tempo que encurtou ou o que fazemos com ele que mudou?
Lembro que eu sempre dizia que eu não queria crescer, nunca eu soube explicar o porque, mas, dizia. Será que sabia que virar adulta seria chato?
Virar adulta não é o mesmo que crescer, tem gente grande, adulta, mas, que ainda não cresceu.
É muito bom observar, sem a pressa de adulto é claro, uma criança brincar...o compasso de nossos relógios deveria ser o do relógio de uma criança enquanto brinca, rsrsrrsr...Mas, não, atropelamos a vida!
Ora bolas, precisamos sempre mais e mais, até porque, quem são as crianças para nos ensinarem algo?rsrsrssr...
Pois, a mim ensinam, eu as observo, diariamente, "sugo-as", tento assim crescer, ser um ser humano melhor!
Ana Paula

Nenhum comentário:

Postar um comentário