sábado, 14 de julho de 2012

Algumas pessoas entram na vida da gente para nunca mais saírem.
Independente da distância, do tempo e de todas as adversidades, continuam presentes.
Lembradas, recordadas e amadas.
Pela letra de uma música, por um ditado, através de um perfume, por um dia ensolarado, pelo cair da chuva ou pelo vento no rosto.
Não precisamos vê-las para senti-las.
E, quando o reencontro acontece, logo reconhecemos traços inconfundíveis.
Que o tempo não arrancou.
Que a maturidade não apagou.
...
Ah, estes devem ser os amigos que a vida me deu!
Amo-os, um a um...

Nenhum comentário:

Postar um comentário