quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Nota 10 e com estrelinha, rsrsrrsrs...

Hoje, tive a oportunidade em participar da I Conferência Regional e II Conferência Municipal de Políticas para as Mulheres, em Santiago/RS. Evento promovido pela Coordenadoria Municipal dos Direitos da Mulher, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Prefeitura Municipal de Santiago.
Evento serviu como pré-conferência ao encontro estadual que ocorrerá em Porto Alegre, entre os dias 21, 22 e 23 de outubro de 2011. Durante o dia, elencamos as necessidades da região, assim como, escolhemos as delegadas que nos representarão oficialmente no encontro estadual. O evento de outubro será aberto ao público em geral e necessitamos do engajamento de uma grande número de pessoas para a construção de políticas públicas sérias, ou que, pelo menos, as que já existam possam ser efetivadas.
Parabenizo aos organizadores do evento pela iniciativa, mas, também pela trajetória que, pelo que pude perceber é longa.
São de pessoas como vocês, sejam gestores públicos ou simples líderanças comunitárias, de que este país precisa!
Ana Paula

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Um dia bom, um bom dia!

Depois de alguns dias não muito bons, volto a ter um dia bom, ou um bom dia!
Entreguei-me, de cabeça e coração, ao puro exercício do magistério, fato que me trouxe sentido, alegria e renovação.
Orgulhei-me de meus atendimentos e dos resultados que obtive.
Assim como, da interação e carinho com os alunos e com os pais destes.
Este retorno, direto, transparente, dialógico, que me faz amar o fazer pedagógico.
Quando estou junto aos meus alunos/amigos/ mestres os problemas ficam da porta para fora de minha sala de aula, eles me fazem acreditar que tudo pode ser diferente e que deve ser diferente, são minha energia, meu combustível para a longa estrada a percorrer.
Hoje percebi que será bom, muito bom, preocupar-me, de agora em diante, somente com eles.
Obrigada meus queridos, pelo ótimo dia que tivemos!
Ana Paula

Princípio ação e reação!

Apesar de não entender muito, ou quase nada de física, lembro do Princípio de Ação e Reação.
Nem sei direito se é este o nome, mas o importante é que realmente funciona, em todos os sentidos da vida da gente.
Toda ação é seguida por uma reação!
É lógica!
E, também não exige maiores explicações.
Minha reação depende de uma ação prévia, ou seja, da forma como fui tratada.
Ana Paula

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Nada como um dia após o outro!

Talvez isso tenha valor para tudo na vida da gente!
Um dia após o outro, um dia após o outro...
Assim nos levantamos, nos recuperamos, nos replanejamos e nos reconstituímos.
Oportunizamos tempo para as feridas secarem, deixarem apenas as cicatrizes, tempo para as mágoas se acomodarem e para respirarmos sem que o peito doa ou a bola na garganta atrapalhe de falarmos.
Tempo na verdade para voltar a tocar a vida!
Porque quem leva na cara, ou uma rasteira, ou bola nas costas, ou seja lá que nome vierem a dar, jamais esquecerá!
Mas, o tempo é remédio para cicatrizar e de cicatrizes eu entendo, srsrsrsrrs...
Ana Paula

domingo, 28 de agosto de 2011

"Ando Devagar"... Almir Sater

"Ando devagar porque já tive pressa,
E levo esse sorriso, porque já chorei demais,
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe,
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei,
ou nada sei. Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs.
É preciso amor pra poder pulsar, é preciso paz
Pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir.
Penso que cumprir a vida, seja simplesmente
Compreender a marcha, ir tocando em frente,
Como um velho boiadeiro, levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada, eu vou,
Estrada eu sou. Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maças,
É preciso amor pra poder pulsar, é preciso paz
Pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir.
Todo mundo ama um dia, todo mundo chora,
Um dia a gente chega, no outro vai embora.
Cada um de nós compõe a sua história, cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz, e ser feliz.
Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maças,
É preciso amor pra poder pulsar, é preciso paz
Pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir.
Ando devagar porque já tive pressa,
E levo esse sorriso, porque já chorei de mais,
Cada um de nós compõe a sua história, cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz, e ser feliz."

sábado, 27 de agosto de 2011

Agradecimentos!

Ontem foi um dia especial, recebi alta da fisioterapia.
Especial e difícil, prometemos uma a outra que não haveriam lágrimas, mas, não teve jeito...elas rolaram!
Aline Manenti é a físioterapeuta que cuidou da minha reabilitação, do encaminhamento pós cirúrgico, um mês e pouco após o acidente, até o dia de ontem.
Quando cheguei em seu consultório, o prognóstico para o meu caso, era o pior possível e eu sabia disso. Sabia porque os médicos, em nenhum momento, conseguiram esconder a gravidade, pois, logo perceberam que eu não era ignorante e logo enchia-os de perguntas.
A terapia iniciou, muitas foram as interrupções, já que foram quatro as cirurgias só no cotovelo, paralelo, veio a trombose, que atrasou os procedimentos cirúrgicos e que nos obrigou a correr contra o tempo para minimizarmos as sequelas.
Aline fez o que a própria medicina não acreditava ser possível e acreditem, basicamente, fiquei apenas com uma pequena limitação em extensão.
Conheci a Aline no pior momento da minha vida, espero sinceramente que este tenha sido o pior, pois não espero passar jamais por situação semelhante, gostaria de tê-la conhecido em outro momento, mas, as coisas não acontecem como a gente planeja. Enfim, que ótimo que ela entrou na minha vida nesse momento, pois, ela não foi somente minha fisioterapeuta, ela foi minha amiga e minha psicóloga, rsrsrsrrs...
Quem passa por uma situação como a que passei sabe que muito, muitíssimo, depende do paciente para o alcance de bons resultados, mas, que tomado por um contexto de dor e sofrimento o paciente não tem motivação para a terapia. Aí entra o diferencial do bom profissional e do excelente profissional.
O bom profissional, vai lá e faz o que tem que fazer!
O excelente profissional, vai lá faz o que tem que fazer, mas, antes aplica injeções diárias de sorrisos, ânimo, coragem, esperança, expectativa, explicações etc, aguenta choros, desabafos, te faz rir e perceber que a vida continua.
A Aline foi, é e sempre será importante na minha vida, porque foi mais que profissional, foi uma amiga que num momento de dor conquistei.
Obrigada por tudo!
Um forte abraço,
OBS: Assim, que eu fizer a cirurgia de ligamento de joelho volto a ser sua paciente,  não vai se livrar assim de mim, rsrssr!!!
Ana Paula 


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Preparativos para 7 de Setembro...A luta continua companheiros!

De farelo em farelo alimento aos meus, ou melhor, o ditado nem é esse, rsrsrsrs...de grão em grão a galinha enche o papo, acho que agora acertei, rsrsrsrrs...
Na Educação especial é assim, de grão em grão, prefiro chamar de migalha em migalha, de esmola em esmola, ou de assistencialismos baratos, paternalismos, ou de sobras de verbas de gabinetes em vésperas de eleições, tentamos exercer a profissão.
Tirando isso, é um empurra empurra, ninguém quer responsabilizar-se, afinal, para que mesmo?
Renegamos, rasgamos os direitos civis de uma criança tão logo diagnosticada uma deficiência, síndrome e/ou transtorno, como se daí em diante ela não fosse mais brasileiro, nascido neste solo, nesta terra, a qual jura-se a Constituição, a mesma Constituição que diz que todos são iguais perante a lei.
Muito me entristece ter que preparar um desfile alusivo a 7 de Setembro, faz dias que tenho essa missão nas mãos, penso e repenso mas, não consigo escrever o tal texto que deverá ser lido no dia do desfile.  Até porque homenagear uma pátria que esquece de seus filhos, que beneficia alguns em detrimento de outros, que joga na marginalidade milhares de brasileirinhos todo dia, isso porque não oferece escola, trabalho decente aos pais, sistema de saúde humano, moradia etc fica bem complicado.
O que falar dessa Pátria mãe gentil?
Realmente, gentil aos que saem de cuecas cheias de dinheiro das Assembléias Legislativas, gentil aos que se beneficiaram do mensalão, das obras super faturadas, dos mega salários, daqueles que empregaram até os parentes dos seus cachorrinhos. Para esses a Pátria é generosa, gentil, abundante em recursos e em boa vontade.
Mas, voltamos a falar dos meus queridos alunos, historicamente, propositalmente, esquecidos pelo poder público, o que digo a eles, como vou trabalhar com eles, que idéias posso sugerir para que possamos homenagear a nossa tão amada Pátria?
Nem o futebol irá me salvar! Rsrsrsrsrrs...
Amigos, não sei, pois, o que sinto é nojo!
Entretanto, sou obrigada a ir para a avenida, pois, é um espaço que conquistamos, esse será o 3º desfile que meus alunos tem a honra de participar, pois, antes, nem disso participavam, ora bolas, disserto não eram cidadãos. E percebi o quanto isso representa para eles, pois, sente-se parte da comunidade.
Talvez seja a oportunidade de bem de levinho, deixar meu recado, porque se passar do ponto um pouquinho, as portas fecham-se novamente, rsrsrsrsrsrrs...
Afinal, nós da Educação Especial, somos assustadores, monstros pavorosos, malvados, bocudos, que devem ser combatidos e mantidos longe da sociedade, rsrsrsrrsrsr!!!
A luta continua companheiros!
Ana Paula

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Montanha Russa!

Nunca pude entender porque não gosto de montanha russa.
Hoje, no caminho para o trabalho, vim comparando-a com a vida da gente.
Seus sobes e desces, suas guinadas, seus giros, seus sustos, seus degraus na subida, seus balanços, suas bruscas quedas, suas surpresas, provocantes vertigens, ataques de risos, ou de choros, ou de náuseas, enfim, as mais variáveis sensações.
Tudo muitíssimo parecido com o que acontece na vida da gente, o inesperado, o improvável, o incálculável, o imensurável, o ilógico, o estúpido, o aterrorizador, o amedrontador, o surpreendente, o mágico etc.
O subir devagar e o descer bruscamente sempre foi a parte que mais me incomodou, continua me incomodando e continuará a me incomodar.
A inconstância da velocidade, hora rápida, hora lenta, mais aqueles balanços e giros me deixa louca, rouba o equilíbrio da vida. Tudo é uma simples e doida comparação, rsrsrsrs...mas, não gosto de montanha russa!
Gosto de segurança, constância, previsão e lógica, nem sei porque escolhi essa profissão, pois, deveria estar nas ciências exatas, rsrsrsrsr!!!!
Ana Paula

domingo, 14 de agosto de 2011

PAI

Proteção para as mais diveras circunstâncias;
Amor desmedido e;
Incondicional..

Te amo!

sábado, 13 de agosto de 2011

Uma faixa de música!

Um CD que fica rodando numa faixa, inúmeras vezes...roda, roda, roda...mas, eu não coloquei naquela música, muito menos gosto dela, entretanto, continua rodando, rodando, rodando, rodando...até a exaustão!
De manhã, a primeira percepção é logo a do CD a rodar. Durante alguns momentos do dia, mesmo ele rodando, consigo me distrair por alguns segundos, mas, logo ele volta tocar na minha cabeça, vou deitar com ele, a essa altura, já martelando ao meu ouvido.
Essa é a cabeça de alguém que não consegue assimilar fatos, essa é a minha cabeça na maioria das vezes, me envolvo com o trabalho, com a família, mas, meu maior tempo e energia é gasto pensando na desgraça que aconteceu com a minha vida. Não acho e sei que não acharei explicações, mas, não há conforto ou consolo para a estupidez com o que aconteceu comigo, no auge da minha vida profissional, numa fase ímpar na vida pessoal, fase de crescimento, de construção, de realização etc, fiquei ao chão, quase a baixo dele.
Não há Igrejas, doutrinas, ceitas ou seja lá o que for que expliquem tamanha violência. Se eu tivesse que passar por isso para aprender algo, desculpem-me, mas, ninguém aprende na dor, muito menos eu. Se tivesse algo a pagar, com certeza nem dessa vida seria, porque não tive tempo de aprontar tanta merda. Se fosse para provar que tem alguém mais forte que eu, ora bolas, não precisava quase me matar, era só me mandar um recado, afinal, nunca duvidei disso e também já não fizeram tantas aparições? Se fosse para me monstrar que eu era forte, eu não precisava saber dessa forma, até porque, nunca pedi para ser.
Só sei que ganhei um corpo cheio de dores, uma cabeça cheia de dúvidas, medos, inseguranças, um coração cheio de mágoas, rancores, desilusões, desesperanças, enfim, roubaram uma vida cheia, cheia de boas expectativas/ sonhos e me deixaram em troca esse lixo, incapaz de querer comprar um pacote de balas.
Ana Paula

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

...

Gente omissa, que se esconde atrás dos outros, que fica esperando as coisas caírem do céu...
Gente que sabe sim levantar a voz, mas, com os mais fracos, os oprimidos, com aqueles que desconhecem seus direitos...
Mas, que na hora de fazerem valer seus próprios direitos dão para trás, ou melhor, correm para trás de alguém e ficam esperando que a solução caia do céu.
Gente fraca, gente covarde, que esconde suas fraquezas com teimosias.
Que leque de personalidades ainda tenho que conhecer e me surpreender nessa vida?
Ana Paula

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Hipócritas, demagogos...

Estou farta de gente hipócrita e demagoga, de seus discursos, da forma como se posicionam, ou não se posicionam, para não se comprometerem...
Das contradições entre discursos maravilhosos e práticas vazias...
De mentiras, de falsas modéstias, dos " mais humildes" dos homens,  dos "mais simples"...
De gente que não assume o que é, o que realmente pensa, que monta um personagem e se faz passar por ele...
Estou cansada de me enganar, de acreditar, de me comprometer...
De levar rasteira, de usarem meu nome, minhas idéias...
De gente que até te olha nos olhos, mas, para te contar mentiras, esconder podridões, procedimentos ilícitos.
Estou farta, cansada, cansada de gente!
Gosto de transparência, mas, são poucos que a apreciam.
Ana Paula

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Acredito mas, tem os imprevistos!

"Deus nos concede, a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocamos nela, corre por nossa conta."
Chico Xavier

Fórmula secreta!


Ah, segunda-feira!
Tudo recomeça!
Que saibamos aproveitar a oportunidade em fazermos mais e melhor nessa semana que se inicia.
Sei que nessa altura do ano, muitos andam cansados, com as pilhas fracas, mas, que possamos olhar as situações com otimismo.
Vamos utilizar da invenção do calendário a nosso favor, ou seja, repartir a vida em semanas, meses e anos, para que possamos recomeçar a cada dia, se não der, a cada semana, cada mês...
Seja lá qual for a sua fórmula secreta para aguentar o tranco, conquistar o mundo, rsrsrrs, utilize-a para que seu dia seja melhor, garanto-lhe que será um bom começo!
Uma boa semana a todos!
Ana Paula

domingo, 7 de agosto de 2011

...

Dor na garganta, no corpo, gripe etc.
Merda! O inverno me pegou, sem palavras...

sábado, 6 de agosto de 2011

Um giro...

Minhas últimas postagens carregam indignação por algumas coisas que venho vivenciando.
Mas, chega de falar sobre isso, pelo menos por enquanto, pelo menos durante o final de semana, rsrsrs...
Acontece que tem questões que não podem passar em branço, devem ser debatidas e encaradas, caso contrário vira um ciclo vicioso, os absurdos tornam-se comuns, rotineiros, acabam não nos chocando mais e voltando a acontecer.
Uma amiga, profissional da psicologia, sempre me dizia..."tem coisas que precisam ser ditas", hoje acrescento..."tem coisas que precisam ser ditas, combatidas e expulsas, rsrssr".
Mas, vamos deixar esse lero lero para outro dia!
Vamos falar do hoje, do agora e somente das coisas boas que temos.
Hoje amanheceu um lindo dia, ensolarado, frio, mas, por enquanto seco. Dá para aproveitá-lo da maneira que quisermos, seja lá com passeios, curtindo a família e os amigos, ou até mesmo ficando em casa e curtindo a si mesma.
Tem várias formas de relaxar após uma semana de trabalho, com tempo bom temos ainda mais opções.
Então, desejo a todos um ótimo final de semana, que consigam recarregar as baterias para uma semana produtiva.
Ana Paula

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Desabafo!

Tem gente que acaba a graduação e é obrigado a sair para trabalhar, outros tem o privilégio de continuar só estudando, aí se encontra a "produção" dos intelectuais, dos teóricos (algumas vezes sem causa) e assim por diante.
Infelizmente, ou felizmente, me encontro no primeiro grupo.
Afinal, alguém tem que dar aula neste país e, claro, submeter-se a ser cobaia das teorias, muitas vezes furadas, do pessoal que continuou na academia.
O que seriam das escolas se só tivéssemos doutores? Fechariam?
Sim, porque doutor não aguenta sala de aula, é fácil ser intelectual e ditar regras para os babacas nas escolas seguirem, afinal, as "professorinhas" servem para isso, rsrsrrssr...
E aí, se der certo, seus nomes são colocados em um altar, se der errado, a professorinha quem fez tudo errado.
Tudo bem! Quem está na escola de hoje não deve bater bem, somente pelo fato de ter escolhhido tamanha loucura.
Sim, porque vamos combinar, olhem para dentro das escolas e me digam que circo é esse.
Mas, também, não precisam nos subestimar.
Não entendo como um sujeito pode criar teorias sem nunca tere entrado numa sala de aula, nem saber que na escola é uma fartura, "farta" tudo, inclusive, vontade de mudar.
Muitas coisas não estão escritas nos livros que carregam nas pastinhas de couro, seus sapatinhos não conhecem o barro das periferias onde temos que nos enfiar, muito menos imaginam o que é ter que obter resultados de uma criança que vai para aula com frio, fome e medo.
Acredito, na necessidade de formação continuada, entretanto, numa formação que se origine da realidade, que consiga aliar prática e teoria na resolução de problemas e, a partir disso construção de novos saberes.
Se um dia encontrar um curso que se proponha a isso, voltarei à academia.
Enquanto isso, continuo sendo, com orgulho, uma mera "professorinha", meio rebelde, mas, rebelde com causa, rsrsrsr...
Ana Paula

Indignação!

Vivemos numa sociedade segregacionista, discriminatória, preconceituosa, elitista, materialista, consumista, competitiva, resumindo, desumana!
Imaginem vocês o papel social que um deficiente ocupa nessa realidade, o que resta para ele, quais são as políticas públicas, os estigmas, os rótulos etc.
A escolha da minha profissão é fruto de minha personalidade, combativa. Acontece que parece que falo grego, porque ninguém me escuta.
Deficiente não tem que viver de esmolas, do que sobra, do que ninguém mais quer, ou até mesmo, orientados por profissionais que não se acertaram em lugar nenhum.
Eles tem os mesmos direitos que todo e qualquer cidadão brasileiro, não é em razão de suas especificidades ou até mesmo porque alguns não votam que devem ser esquecidos.
Às vezes, me canso de falar e perceber que as pessoas que tem o poder em fazer as coisas diferentes não estão nem aí. Não precisa ter um deficiente na família, ou achá-los bonitinhos/ engraçadinhos, para abraçar a causa, basta cumprir com a Constituição Federal.
Esse foi um desabafo pelo descaso com o ser humano.
Ana Paula

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Politização já!

A corrida dos que almejam uma cadeira nas câmaras de vereadores e/ou até nos executivos municipais já começou.
Cada vez me convenço mais de que campanha é feita o tempo todo, por politiqueiros de plantão. E, o pior, não é feita em cima de propostas, programas sérios de governo mas, sim, por difamações, ataques pessoais e todo tipo de "jogo sujo". Oposição, séria, ninguém mais sabe o que é.
Também não tenho encontrado gestores que governam para uma coletividade, independente da cor das bandeiras que o povo vier a levantar. O que percebo, são ações de interesse próprio ou de uma pequena parcela da população (somente para os "companheiros"), o que demonstra total desconsideração pelo "Estado Democrático de Direito", ou até mesmo desconhecimento pelo que ele representa.
Entretando, esses fatos não são motivos de admiração num país onde as cadeiras são ocupadas por "Tiriricas", rsrsrrsrs...
Ai, a politicagem...entra governo e sai governo e todos utilizam a mesma cartilha.
Quando isso vai mudar?
Politização já!
Ana Paula

Mário Quintana...

"Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é outro rio a passar.
Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!"

1.000 Visualizações...

Olá amigos!
O Blog chegou a um número de 1.000 (um mil) visualizações.
Com uma breve reflexão, confesso que fiquei um pouco assustada.
Comecei a pensar quem são essas pessoas, o que acham do que venho escrevendo, quais as motivações para visualizarem um blog "caseiro", na verdade quase um diário pessoal, qual a relevância disso no dia a dia das pessoas que leem, o poder das palavras, o poder de persuasão das palavras, o alcance destas, o tamanho da minha responsabilidade ao expressá-las, a exposição de minha vida, de meus pensamentos etc.
Que loucura essa tal internet! rsrsrsrsr...
Contudo, continuarei a escrever pois, para mim tem sido um exercício interessante para organização dos meus pensamentos e recontrução de minha vida após o acidente.
Agradeço pelas espiadinhas, espero realmente que minhas palavras, minhas reflexões e meus dasabafos tenham contribuído, de alguma forma, para fazer o dia de vocês melhor.
Um forte abraço,
Ana Paula

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Ah, os concursos!

Já fui "concurseira" de carteirinha!
Logo após minha graduação, fiz todos os concursos que abriram, para o Estado do RS e os mais diversos municípios. Sendo que, sempre fiquei entre as primeiras colocadas. Alguns fui nomeada, outros caducaram antes que isso acontecesse, muitos foram concursos "caça níqueis" para enganar a galera e assim por diante.
Tem épocas na vida da gente que tudo parece dar errado, a percepção é de que quando colocamos o pé na porta, alguém vem e fecha na cara da gente.
Depois de um tempo, todas as portas se abrem juntas, daí você fica maluca, porque tem que resolver com o que ficar, desistir de oportunidades que um dia foram sonhadas, arquitetadas, colocar tudo na balança e fazer escolhas.
Poxa vida, se antes entrávamos em crise por não sabermos o que ía ser, onde íamos parar, agora causa crise por tudo acontecer ao mesmo tempo.
Posso dizer que fiz escolhas certas, na hora certa...algumas delas exigiram muito, demais, para que eu não desistisse, outras foram prazerosas, realizadoras, enriquecedoras, positivas. Mas, não me arrependo de nenhuma, nem mesmo da experiência em São Pedro (desastrosa, 4 anos de probelmas, sem ver resultado, falando "grego", rsrsrsr...), acredito que foram degraus para hoje eu estar onde estou e gosto de onde estou.
Quando estamos na busca incansável por um lugar ao sol, não temos muita paciência e não é fácil tê-la.
Depois você olha para trás e quase nem acredita que passou pelo que passou.
Amigos, vocês jamais vão ter idéia pelo que já passei...talvez seja por isso que agora dou tanto valor ao lugar onde cheguei, que com certeza é bem melhor que o ponto de partida, rsrsrsrsr...
Muitos podem pensar que é pouco, mas, nesse momento me basta. Tenho certeza que se me entediar, perder a motivação ou o "tesão", terei coragem para desistir e recomeçar em outra querência. Sou como cigana, levanto os "trapos" e me vou, rsrsrsrrs...
Porque nessa vida, o que vale é ser feliz!
Ana Paula

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Frio!

É época e nem podemos reclamar.
Entretanto, o frio está castigando, especialmente aqueles que necessitam sair de casa cedo, ou para o trabalho, ou para a escola.
Embora, estejamos "acostumados" ao frio, sentimos seu rigor.
Penso, especificamente, nas crianças pequenas, nos idosos e nos economicamente menos favorecidos. Nesses casos o inverno, além de ser rigoroso, torna-se um grande inimigo.
Reafirmo minha preferência por climas mais quentes, acho-os mais agradáveis e acima de tudo, mais humanos.
Num país como o nosso, de grandes contrastes sociais, o cara lá de cima poderia olhar para a população do sul e manerar com o frio.
Sei da importância do clima frio para algumas culturas de inverno, assim como, das estações acontecerem bem distintas, justamente, para um bom plantio e colheita.
Contudo, faz frio demais aqui no sul, tchê!
Ana Paula

Potencial Turístico de Nossa Região

Fiquei encantada com o potencial, não só turístico, mas, também industrial da Serra Gaúcha.
Acredito, que seja uma das regiões mais prósperas do estado, que deslumbra bons níveis de desenvolvimento  social e, consequentemente, qualidade de vida da população.
Trouxe na lembrança algumas idéias que poderiam ser implementadas em nossa região, tão carente de empregos.
Temos um potencial turístico  quase inexplorado, as belezas de nossa região são pouco valorizadas, não há investimento em infraestrutura para receber turistas, são poucas as rotas já firmadas e inúmeros os pontos nem mencionados.
Cidades com muito menos potencial fazem muito mais, atraindo pessoas dos mais diversos estados, trazendo dinheiro, movimentando o comércio, serviços e proporcionando empregos.
Não percebo vontade em explorar o turismo em nossa região, o que poderia transformar-se em um dos pilares da economia dos municípios.
Muitas vezes, nem mesmo os moradores conhecem os pontos turísticos e, se conhecem, não acreditam e/ ou não visualizam divulgação, organnização, planejamento e investimento nos locais.
É, parece de Deus dá rapaduras para quem não tem dentes, rsrsrsrrs...
Ana Paula

"Politicamente correto!"

O texto intitulado "Pudim", de Marta Medeiros, me faz refletir sobre o ser "politicamente correto".
O que é uma pessoa politicamente correta, quais suas motivações, razões e como fica a liberdade individual, desejos e aspirações?
Acredito, que o controle social é quem os cria, o fazer direitinho para que os outros vejam e assim por diante.
Nem sempre, queremos e desejamos algo, mas, acabamos realizando porque é o que se espera, socialmente, de nós.
Ok! É bonito e traz reconhecimento ser "certinho" mas, e o "EU" como fica, onde se esconde e de que forma se manifesta?
Não estou fazendo um manifesto contra os "certinhos", apenas questionando-os.
Até porque em muitas questões também sou "politicamente correta", naquelas que após reflexão, passo a acreditar que valem a pena energia. Entretanto, tento ouvir quem eu sou, quais as minhas vontades e consequentemente, as consequências  na vida dos outros.
Não me permito abraçar causas "da moda", abraço causas nas quais acredito!
Se as pessoas fossem verdadeiras e deixassem de ser hipócritas, com certeza o número de pessoas "politicamente corretas" reduziria pela metade, rsrsrsrrs...
Não é feio, nem fora de moda ser você mesmo, nem que para isso pague um preço, rsrsrs...
Ana Paula

Pudim - Marta Medeiros

PUDIM
Não há nada que me deixe mais frustrada
do que pedir Pudim de sobremesa,
contar os minutos até ele chegar
e aí ver o garçom colocar na minha frente
um pedacinho minúsculo do meu pudim preferido.
Um só.

Quanto mais sofisticado o restaurante,
menor a porção da sobremesa.
Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência,
comprar um pudim bem cremoso
e saborear em casa com direito a repetir quantas
vezes a gente quiser,
sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação..

O PUDIM é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano.

A vida anda cheia de meias porções,
de prazeres meia-boca,
de aventuras pela metade.
A gente sai pra jantar, mas come pouco.

Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons.

Conquista a chamada liberdade sexual,
mas tem que fingir que é difícil
(a imensa maioria das mulheres
continua com pavor de ser rotulada de 'fácil').

Adora tomar um banho demorado,
mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta.

Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo,
mas tem medo de fazer papel ridículo.

Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD,
esparramada no sofá,
mas se obriga a ir malhar.
E por aí vai.

Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar',
tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação...

Aí a vida vai ficando sem tempero,
politicamente correta
e existencialmente sem-graça,
enquanto a gente vai ficando melancolicamente
sem tesão.....

Às vezes dá vontade de fazer tudo 'errado'.
Deixar de lado a régua,
o compasso,
a bússola,
a balança
e os 10 mandamentos.

Ser ridícula, inadequada, incoerente
e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito.
Recusar prazeres incompletos e meias porções.

Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou
e disse uma frase mais ou menos assim:
'Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora'...

Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem,
podemos (devemos?) desejar
vários pedaços de pudim,
bombons de muitos sabores,
vários beijos bem dados,
a água batendo sem pressa no corpo,
o coração saciado.

Um dia a gente cria juízo.
Um dia.
Não tem que ser agora.

Por isso, garçom, por favor, me traga:
um pudim inteiro
um sofá pra eu ver 10 episódios do 'Law and Order',
uma caixa de trufas bem macias
e o Malvino Salvador, nu, embrulhado pra presente.
OK?
Não necessariamente nessa ordem.

Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estraago . ..