terça-feira, 28 de junho de 2011

Volto a falar em Política ...

Não adianta fugir!
Somos seres sociais, essencialmente, ligados a política. Muito me aborrece o discurso..."Eu odeio política... odeio falar de política... não me interesso por política" etc, discurso mentiroso ou banhado por total ignorância sobre o universo político.
Não há escolha...será que gosto ou não gosto... poxa, é sobre a minha vida, sobre a tua vida, sobre a nossa vida, a forma como vamos viver, o que poderemos ou não fazer, sobre o que vamos ou não dispor, sobre quanto vamos pagar, pelo que vamos pagar e como vamos pagar, até sobre nossa liberdade. E ainda tem gente que não se interessa?
Qual é a tua companheiro? Vai deixar a vida correr e os outros resolverem tudo por você?
Sei que tens opinião, sei que sabes o que quer, acontece que não fomos ensinados a falar e sim ensinados a calar. Nossa democracia é recente, recente demais, mas, está na hora de começarmos a nos interessar pelas questões políticas de nosso país. Pois, as decisões refletem diretamente no nosso dia a dia e no legado que deixaremos aos nossos filhos. Afinal, que país queremos? Para que trabalhamos? O que buscamos?
Acredito, que todos, todinhos, possuem opinião formada sobre esses questionamentos e isso chama-se ideologia, que é baseada em princípios e valores morais, que dependem da história pessoal e personalidade. Geralmente, encontramos grupos de pessoas com ideologias de sociedade parecidas, ou seja, com objetivos em comum. Neste momento, teoricamente, distinguem-se as ideologias partidárias - dos Partidos Políticos.
Contudo, acredito que somos essencialmente, existencialmente, seres Políticos, embora, tenhamos negado nosso interesse pelo assunto (até mesmo por decepção). Nosso país precisa, nós precisamos, com urgência, da politização do povo. Enquanto nos mantermos anestesiados, obsoletos em frente a televisão assistindo às barbáries, ao caos social, ao sucateamento dos serviços públicos, não vai haver mudança, pois, não há pressão/ cobrança para que aconteça.
Sinceramente, acredito num futuro próspero, mas, com engajamento do povo, dizendo o que quer, o que precisa, para onde quer que vá o seu dinheiro (dos impostos), governantes escolhidos pelo povo para servir ao povo.
Não sei nominar isso...Sonho? Utopia? Ingenuidade? Ilusão? Ou será, simplesmente, crença nesta nação!
Ana Paula

Nenhum comentário:

Postar um comentário