quinta-feira, 26 de maio de 2011

Liberdade?

Liberdade!
Somos relativamente livres, ou melhor cada vez menos livres. Não estou falando em matéria de direito mas, em condicionamentos sociais, padrões comportamentais,  imposições sutilmente sugeridas pela mídia, pelo marketing e/ ou pelo próprio sistema de ensino.
Liberdade de expressão, das mais variadas formas - no vestir-se, no falar, no morar, onde morar, com quem morar, que carro ter, ou não ter carro, que nome dar ao seu Deus, ou não ter um Deus, que time torcer, se acha necessário protestar por uma causa, ou não, se identifica-se com a ideologia de um partido político, ou de outro, ou de nenhum e tantas outras manifestações humanas estão sendo sistematicamente, sorrateiramente, estrategicamente abafadas, extintas!
O mais preocupante nisso tudo é que permitimos, pois, não nos damos por conta. Estamos amparados por um discurso de democracia, direitos humanos etc, quando na verdade cada vez menos livres somos. Nos moldamos a comportamentos padrões, nem que para isso perdemos identidade. Temos medo de sermos "diferente", de sermos o do "contra" e muitas vezes "dançamos conforme a música" para não nos incomodarmos ou para nem sermos vistos na multidão.
Gente, o que é isso? Pára o mundo que eu quero descer!Temos o livre arbítrio, somos livres para pensar, falar, acreditar, agir, vestir...somos únicos, não há como padronizar o homem, não fomos feitos em série, não queremos ser tratados como objetos, ou você quer? Não me importo se me acharem "diferente", já me chamaram de muitas coisas, deve ser porque não consigo seguir esses padrões, ou talvez porque ainda consigo falar um pouco o que penso.
Ana Paula

Nenhum comentário:

Postar um comentário